terça-feira, 31 de julho de 2012

Proibida de Esquecer: Capítulo 1



— Demi, fica tranquila. Ele nem bebeu tanto assim! — Emily tagarelava ao meu lado enquanto eu pegava os malditos livros de química no armário.
— Tanto faz! — dei de ombros. — Ele faz isso sempre. Fica super bêbado, pega umas garotas por diversão e depois me liga chorando de madrugada falando que se arrependeu.
— Mas foi apenas um selinho. Um beijo de nada. Demetria me poupe! Você é muito santa. — Emily bufava como se eu fosse culpada de ter sido traída novamente.
Sai pelo corredor sem dar muita importância ao que Emily falava. Ela não se tocava que eu não estava a fim de saber o que Joseph, o canalha do meu futuro ex-namorado fez ontem, semana passada ou que dia fosse.
— Demi! — aquela voz rouca só podia ser dele. No mesmo instante senti um frio na barriga. Virei-me lentamente pensando quais palavras usar para terminar aquele namoro frustrado.
— Oi Joseph. — falei já me desviando dos seus beijos.
— Recebi sua mensagem. O que quer conversar comigo? — Joe me olhava com aqueles olhos verdes escuros que por um momento conseguiu me distrair.
— É melhor terminarmos. É isso, tchau! — fechei os olhos e torci os lábios, como quem fica sem graça por alguma coisa.
— O que? — Joe gritou ao longe, enquanto eu já estava entrando na sala de aula após uma disparada para fugir de algum tipo de discussão pós termino de relacionamento.
Talvez isso fosse imaturidade da minha parte, mas por falar em imaturidade o pior aqui era Joseph, não eu.
Consegui chegar atrasada pela segunda vez em uma semana. O senhor Bolinhas já estava passando alguns exercícios na lousa. E Bolinhas não é um apelido, o sobrenome dele realmente era Bolinhas, Dean Bolinhas! Ele não era gordo, pelo contrário, era um homem de meia idade alto e muito magro que vivia vestido com a mesma pólo verde musgo e infelizmente seu cheiro era um tanto quanto desagradável. Acredito que por isso ele até hoje não tenha se casado. Eu revirava minha mochila para encontrar meu maldito celular que como sempre resolve sumir. O sinal da saída havia batido há uns 10 minutos e desde o intervalo eu o procurava e nada de eu acha-lo.
— Está procurando isso aqui? — Joseph perguntava com um sorriso malicioso enquanto estava com meu celular em suas mãos.
— Sim, é! Quem mandou você pegar a porra do meu celular?
— Ninguém, amor! Você deixou cair enquanto corria de mim e eu o peguei. Simples assim. — ele piscou.
Eu não entendi muito bem as suas caras e bocas. Até me lembrar do que tinha naquele celular. Inferno!
— Devolve agora! E espero que você não tenha mexido em nada. Senão eu...
— Senão o que marrentinha? — Joe segurava forte meu braço e pela distancia que ele mantinha do meu rosto eu podia sentir perfeitamente seu hálito quente.
— Me solta seu imbecil, você está me machucando! — eu tentava chutá-lo, mas não adiantava. Seus vários anos de musculação e jogos de futebol americano realmente fizeram efeito. Se o cérebro não melhora pelo menos seus músculos pareciam ter vida própria.
— Eu vi os seus vídeos aqui. Até que você estava bem gostosinha para quem era virgem. — Joe deu uma risada irônica.
Realmente eu tinha alguns vídeos íntimos com um garoto que fiquei na época que estava dando um tempo com Joe. Não que eu curta esse tipo de coisa, mas o garoto pediu e eu no calor do momento gravei. E também, eu era virgem até ficar com esse garoto e nunca, nunca contei para alguém o que tinha acontecido. Eu me arrependo, obviamente. Sou do tipo de garota que preferia perder a virgindade com aquele príncipe dos sonhos, mas como no dia eu me encontrava mais bêbada que tudo acabei nem fazendo questão e para ser sincera acordei nem me lembrando da cara do tal garoto e o nome muito menos, mas da maldita dor de cabeça eu lembro perfeitamente.
— Ah, seu imbecil! Quem é você para falar alguma coisa? Comeu um monte de garotas por ai enquanto estávamos juntos. E quer saber? Nem eu nem você temos o que discutir. Devolve a porra do meu celular agora. — eu gritava enquanto tentava pegar o celular das mãos daquele idiota.
— Toma seu celular. Boa sorte tá Demetria? Espero que seja feliz sendo essa vadia que você sempre foi. — Joseph continuava com sua ironia insuportável.
— Vai se foder! — sai sem dar muita importância as poucas palavras daquele imbecil.
Eu realmente estava apavorada pelo fato do Joseph ter mexido no meu celular. Tenho certeza que ele não vai deixar barato eu ter terminado com ele. Vai querer se vinga provavelmente. Mas que se foda! Ele que faça o que quiser, estou com a consciência mais limpa que as vadias que ele comeu desse colégio.
Caminhar em meio à multidão sem ser percebida, isso eu sabia perfeitamente como era. Enquanto garotas da minha idade andavam por ai rebolando e mostrando seus seios em decotes que dariam para ver até seu umbigo eu tentava ser apenas uma garota normal que não quer mostrar o corpo para a multidão para tentar ser notada. Desde quando perdi meu melhor amigo eu ando assim, sem rumo e nem vaidade. Ele era quem me colocava para cima, me guiava e me deixava sempre com a autoestima alta, era meu porto seguro.

Minha vida e essa monotonia. Dar carinho em minha gata, checar meus e-mails, almoçar e vegetar a tarde inteira. Chequei meus e-mails e nada de bom. Aliás, porque alguém me mandaria algo além de propagandas inúteis? Estava sem fome, àquela briga com Joseph ainda me embrulhava o estômago. Me restava apenas dormir e esquecer do inferno que minha vida se tornou.
—Droga! — murmurava enquanto pegava meu celular que tocava Material Girl da Madonna, interrompendo meu sono gostoso.
Atendi ao telefone e era Emily me convidando para mais uma de suas festas movidas a drogas e álcool. A vontade de aceitar seu convite me corroía por dentro, largar um pouco dessa monotonia e tentar “viver” novamente. Por um impulso disse que sim, aceitei aquele convite insano de uma amiga mais insana ainda.
Levantei totalmente tonta depois de acordar ouvindo a voz irritante de Emily. Até hoje me pergunto por que ainda somos amigas. Desde a primeira série ela me odiava, roubava minhas Barbies e tirava a cabeça, me devolvia depois de uma semana com as pobres coitadas riscadas e decapitadas. Fico triste só de lembrar da minha Barbie Malibu totalmente destruída. Só nos aproximamos depois que comecei o meu romance frustrado com Joseph, o jogador de futebol americano gostosão e perfumado do colégio. A busca de popularidade de Emi falou mais alto, ela quis se aproximar e desde então estamos assim, nos aguentando.
Eu me olhava no espelho e tentava reconhecer o que eu havia me tornado. Aquela garota não era eu. Não mesmo! Onde está aquela Demetria de dois anos atrás? A garota que era a gostosa, a que chamava atenção de todos. Depois de tudo o que passei eu me tornei isso, uma estranha sem graça. Nick fazia falta, a partida dele me fez virar um lixo.
Minha mãe bufou e resmungou algumas palavras que não dei importância.
— Não usa esse vestido, você está gorda! — minha mãe dizia enquanto abria a porta do meu quarto com seu cigarro na mão.
Eu me olhei novamente no espelho. Não me sentia gorda, mas também não me sentia magra.
— Tanto faz. — dei de ombros.
Minha mãe bufou e resmungou algumas palavras que não dei importância.
— Gostosa, hem! — um velho nojento falou quando passei ao seu lado. Confesso que me assustei. Eu era apenas uma garota de 17 anos andando com um vestido curto pelo subúrbio de New York em plenas 11 da noite. Me restou apenas mostrar gentilmente meu dedo do meio para ele e continuar andando.
Eu caminhava contra o vento, escolhi a pior roupa para sair naquela noite chuvosa. Sim, eu estava tomando uma baita chuva e não queria nem saber qual era meu estado naquela hora. Provavelmente minha maquiagem estava borrada e meu vestido totalmente ensopado. Ou melhor, o vestido estava muito ensopado, pois eu já me sentia até mais pesada.
— Até que enfim amiga! — Emily falou quando me encontrou em frente à casa de Mark, próxima a um portão onde antes estava agarrada com um garoto estranho, pelo que vi ao longe.
— Realmente até que enfim! Achava que não ia sobreviver. Podia ser estuprada, morta, esquartejada e também ainda posso pegar uma gripe porque minha querida colega estava com preguiça de ir me buscar com seu carro.
— Desculpa querida! Depois a gente se fala. — Emily falava enquanto o tal garoto estranho a puxava para um beijo provavelmente nojento.
Sabe aquele trecho de música “ festa estranha com gente esquisita”? Pois é, estava nela! As únicas pessoas que reconhecia ali eram Emily, Mark e alguns garotos do time de futebol do colégio. Graças a Deus Joseph não estava ali, devia ter se embebedado logo cedo e não aguentou vir. Ah, sim! E as vadias animadoras de torcida que sempre estavam em todas as festas. O que me acalmaria naquele momento? Uma boa dose de álcool. Uma não, várias doses! Estou no meu dia de extravasar, beber muito e mandar o mundo para a puta que pariu!
— E ai, quer o que? — um garoto alto de voz grossa falou quando cheguei à cozinha, onde tinham algumas bebidas.
— O que tem de bom? — perguntei olhando todas as garrafas de bebida que me chamavam atenção.
— Tem isso aqui gata! — ele me entregou um copo com um liquido vermelho bem claro.
— O que é? — perguntei já bebendo aquilo que tinha um gosto fortíssimo.
— Relaxa, só aproveita a bebida. — ele piscou e sorriu.
Apenas concordei com a cabeça e coloquei a bebida para dentro. Ela descia queimando, mas era muito gostosa.Eu já estava no décimo copo daquela bebida esquisita que até o momento não sabia o nome. Via tudo dobrado, mas a sensação era boa. Eu aproveitei nada daquela festa, ou melhor, se beber é aproveitar eu estava aproveitando totalmente.
— Gostosa. — senti alguém apertar forte minha cintura por trás enquanto estava sentada em um pufe na sala. Meu corpo se arrepiou totalmente, aquela voz dele me deixou assustada. Não esperava encontra-lo tão cedo, principalmente aqui.
— Me larga seu imbecil. — tentei sair de seus braços, mas novamente lutar contra a força dele era em vão.

                                                         CONTINUA...
Bom, espero que gostem, e comentem se ainda lembrarem de mim D:
Tirei até esses bagulho chato de letras e tals pra comentar, e bom quem divulgar eu iria agradecer eternamente!!!!
Beijocasssss!



5 comentários:

Polly Jones disse...

Wow! Amei essa fic nova *-*
Posta Logo, ok?
Muito curiosa kk'
Bjs..

Amanda Soares disse...

Oii minha linda nova seguidora aki...
Amo a sua historia -Laços Eternos-
e já tô amando essa nova fic é PERFECT...
Posstaa Logoo....

Diana (DSP) disse...

Nova seguidora!
Adorei o seu blog! Gostei muito da sinopse e fiquei curiosa.

Se não for incomodar, se gostar será que poderia se tornar seguidora do meu blog?
É esse: http://dianaisabelpinto.blogspot.pt/

Posta logo!

Bjs :)

Lariissa disse...

Que grossa a Demi hein! kkk
Adorei, acompanhando ;)

Lais Raquel disse...

Joseph que isso?Demi usa logo aqueles golpes de MMA que eu te ensinei garota.Van sua fic é diva viu?Voce arrasa <3

nelenajemifics.(blogspot.com.br)